26 outubro 2012

The Wilderness of Manitoba

Existem momentos na nossa vida que nos enchem de emoção e expectativa  e depois de satisfação da descoberta de algo bom. Foi o que me aconteceu esta semana, na minha procura de novos sons, novos álbuns surgiu-me uma banda que não conhecia, The Wilderness of Manitoba.

Esta banda Canadense baseada em Toronto com o seu novo álbum, Island of Echoes, leva-nos para o lugar mágico que é a província de Manitoba e faz-nos sonhar.

O melhor é mesmo ouvirem e julgarem por vocês mesmos.






23 outubro 2012

sharon van etten - tramp (2012)

Acaba de chegar à estante o terceiro álbum de originais da cantautora americana Sharon Van Etten. O single de avanço para o álbum tramp é o magic chords que agora se poe a rodar. Façam silencio meus senhores... e apreciem o videoclip... não menos interessante que a música. Magnifico...

22 outubro 2012

toy - toy (2012)

Apresento-vos os Toy (não confundir com o tipo de Setúbal) formidável banda inglesa que apresentou este ano ao mundo o fabuloso álbum homónimo editado pela não menos famosa Heavenly. Ora os Toy são a típica banda que estamos constantemente há espera. E, se bem que esperamos, melhor sobrevivemos a estes sustos. Preparem-se para quase sessenta minutos em 12 faixas de puro pós-punk psicadélico do melhor… por vezes até na onda “kraut”, ouçam… um verdadeiro mimosinho. Para mim qualquer semelhança com os Horrors é pura especulação. NOTA: Créditos para o master Pixieotronic ou para o radar no NME. 

18 outubro 2012

lovísa elísabet sigrúnardóttir - please don't hate me (2006)

Já há algum tempo que não me entusiasmava com uma menina e uma viola. Eis que 6 anos depois da sua aparição, fazendo jus à minha infelicidade de não ter ido à Islândia este ano (ainda que pró próximo ano já está prometido e agendado...), surge esta menina em versão Lay Low.

"Get your high heals off of my chest
Cause they're hurting me
You don't need to kick me
When i'm already down"

05 outubro 2012

Iggy Pop - Après - 2012


Em dia de peripécias nas comemorações do 5 de Outubro, hoje trago-vos Iggy Pop, a lenda do "Punk-Rock". O homem que nos deu, enquanto The Stooges, "Raw Power" e "The Idiot", "Lust For Life" entre muitos outros álbuns de elevada qualidade a solo, dá-nos, desta feita, um trabalho no mínimo caricato. "Après" é um álbum de covers, entre as quais podemos ouvir Edith Piaf, Joe Dassin, Beatles ou Frank Sinatra, verdade. Ora bem, convenhamos que os Americanos têm um sotaque cómico, assim sendo, se nos abstrairmos dessa particularidade, podemos reconhecer que este "Après" é um trabalho belo, esqueçam o Punk do Pop (desculpem o trocadilho), se quiserem ouvir algo muito diferente de Iggy Pop, "Après" é o vosso álbum, estranho por ser de quem é, mas bastante inteligente e bem conseguido na minha opinião.
Partilho então convosco neste Dia de Implementação da República e também Dia Mundial do Professor (enquanto Professor tinha de mencionar este dia na nossa actualidade tão negra), a cover de "La Vie En Rose". Façamos então um "Hail Ceasar!!" (Sim, foi uma breve referência a Iggy Pop enquanto "Ceasar", extraído do álbum "American Ceasar" do mesmo autor. Senti que deveria explicar.).
Bastante recomendável.


04 outubro 2012

Bright Eyes - I'm awake, it's morning (2005)

O rapaz além de ter a nossa idade já nos acompanha há tempo suficiente para de vez em quando termos saudades dele. É um monstro. Do folk… Nascido na terra do não menos importante Elliot Smith e Malcom X (esse mesmo!) Conor Oberst lançou em 2005 este magnifico “I’m wide awake, it’s morning” que nos deslumbrou os sentidos. Recordo aqui na estante os momentos partilhados a ouvir Bright Eyes… neste tema que sempre gostei muito “First Day of My Life”. Em jeito de reinicio… na estante… de volta depois de tanto, quase imenso, tempo! :)

“I think I was blind before I met you
Now I don't know where I am
I don't know where I've been
But I know where I want to go



And so I thought I'd let you know
That these things take forever
I especially am slow
But I realize that I need you
And I wondered if I could come home”





02 outubro 2012

Lost Highway OST - 1997


Para um filme alucinante, uma banda sonora absolutamente impressionante. Corria o ano de 1997 quando Lost Highway conhece a luz do dia e da noite. Possivelmente um dos filmes que vi mais vezes e que ainda hoje tiro diferentes ilações sobre o seu conteúdo.

"We've met before, haven't we. 
I don't think so. Where was it you think we met? 
At your house. Don't you remember? 
No. No, I don't. Are you sure? 
Of course. As a matter of fact, I'm there right now. 
What do you mean? You're where right now? 
At your house. 
That's fucking crazy, man. 
Call me. Dial your number. Go ahead.

Brilhante... Lynch no seu melhor. Como seria de esperar, nos filmes do Lynch e séries, a banda sonora é algo de fantástico. Assim sendo, Lost Highway não escapa a esta regra. Barry Adamson, Lou Reed, NIN, Rammstein, Smashing Pumpkins, David Bowie, Angelo Badalamenti, Trent Reznor, Antonio Carlos Jobim e Marilyn Manson deram a intensidade que o filme não só pedia, mas exigia. Meus amigos, das melhores bandas sonoras que alguma vez ouvi e que estabeleceu uma harmonia perfeita com o filme.
Fiquem com a "I´m Deranged" do David Bowie, para mim a música que verdadeiramente me lembra o filme e das melhores que o caracteriza.

"Funny how secrets travel,
I'd start to believe if I were to bleed
Thin skies, the man chains his hands held high
Cruise me blond
Cruise me babe
A blond belief beyond beyond beyond
No return, No return 
I'm deranged..."


Pode ser encontrada no álbum "Outside", um dos meus preferidos.
Extremamente recomendável.

.

01 outubro 2012

Versus - Sisters of Mercy


Leonard Cohen - "Sisters of Mercy" (live)

   


Beck, Devendra Banhart, MGMT - "Sisters of Mercy" (Record Club)

 

Hidden Orchestra - Archipelago - 2012



Hidden Orchestra são um quarteto Escocês que lançam hoje o seu mais recente trabalho, "Archipelago". A crítica coloca esta banda no patamar de "4 Hero" (xii que saudades de ouvir isto), "Zero 7" ou "Bonobo". Os Hidden Orchestra procuram redefinir os elementos do Jazz e da Electrónica para dar origem a diferentes camadas de emoção e atmosfera coesas. Este "Archipelago" é um bom exemplo disso mesmo, recorrem a complexidade e ao mesmo tempo a uma sonoridade enérgica, intimista e calma.
Fiquem com "Vorka", cujo video-clip é uma homenagem à "Arte de Montagem".
Extremamente recomendável.