30 setembro 2012

Sissy - March Of The Humans - 2012



Sissy são um duo Canadiano composto por Johanne Williams na voz e David Trusz na produção electrónica, entre os diversos instrumentos musicais. Lançaram então este ano o álbum "March Of The Humans" que revela uma criatividade óptima, é um trabalho orgânico e futurista, sintetizado  mas humano, agressivo, mas melódico. A banda descreve o álbum como sendo um Caleidoscópio, tanto se torna negro, como radiante. O primeiro single é este viciante "Acid Cake" que partilho convosco.
Extremamente recomendável.



29 setembro 2012

Sex Pistols - Never Mind The Bollocks Here´s The Sex Pistols - 1977/ 2012


O Punk... Lembro-me de o meu irmão do meio me oferecer este álbum era eu um catraio, sim, sou um tipo cheio de sorte. Lembro-me também duma sweatshirt dos Sex Pistols lá em casa que usei na escola, julgo ter sido no meu 5º ano de escolaridade, com a devida autorização, uma vez mais, do meu irmão. Após esta divagação, hoje temos Sex Pistols, verdade, cá está a edição comemorativa dos 35 anos de "Never Mind The Bollocks Here´s The Sex Pistols", e que edição comemorativa. O Álbum em si, raridades, remixes e um concerto ao vivo, bonito! Ahhh a "Problems", ou "Anarchy In The UK", ou "EMI", ou "God Save The Queen", ou "Holidays in The Sun", ou o álbum todo... Um trabalho excepcional para tempos conturbados, este "Never Mind The Bollocks Here´s The Sex Pistols" é considerado pela "Time Magazine" como um dos melhores álbuns de sempre e temos de concordar.
Eu já tenho o meu, fiquem com "Problems".
Extremamente recomendável.



28 setembro 2012

The Ting Tings - Sounds From Nowheresville - 2012



Ao tempo que ando para "postar" este álbum, mas fui-me esquecendo, como mais vale tarde que nunca... cá estão eles de volta. Depois do aclamado "We Started Nothing", os The Ting Tings lançaram "Sounds From Nowheresville" que mantém a mesma genica e audácia do seu predecessor. Este trabalho revela ambição e estaleca que, diga-se, nos habituaram com "We Started Nothing". A crítica não é unânime, no entanto este "Sounds From Nowheresville" é de atentar assiduamente e vão dar convosco a cantarolar diversas músicas.
Como curiosidade, é interessante o facto da banda ter feito uma espécie de concurso aberto a diversos artistas e designers gráficos para serem eles a criar algo para a banda usar. Assim sendo, a capa do álbum veio daí mesmo.
Fiquem com o primeiro single, "Hang It Up".
Bastante recomendável.


27 setembro 2012

Stripmall Architecture - The Exotic Sounds Of Stripmall Architecture - 2012


Stripmall Architecture é uma banda Americana que mantém as raízes sonoras de uma banda que gosto imenso, "Halou". "Halou" foi extinta, aquando deste acontecimento, o "grosso" da banda formou Stripmall Architecture. Nela podemos ouvir a voz da magnífica Rebecca Cosboom, violoncelos, baterias, guitarras e um cheirinho de "Electrónica", tudo presente neste "Exotic Sounds", e que exotismo... Os seus concertos primam pela teatralidade e ressonância mental... Fiquem com a "pujança" de "We Are Not Cool" e deixem-se transportar...
Extremamente recomendável.  


26 setembro 2012

Alpha - The Eleventh Trip - 2012


Continuando pelos rumos do Trip-hop e do seu epicentro, Bristol, hoje temos Alpha. Ahhh a banda que nos trouxe álbuns como "Stargazing" ou "The Sky Is Mine"... Alpha, que já se chegaram a apresentar como "Ariel", lançaram no final de Agosto este "The Eleventh Trip" que continua com as vozes de Wendy Stubbs, Hannah Collins e ainda Duncan Attwood. As atmosferas envolventes, os pianos, as vozes intensas, os panoramas poderosos estão lá, é uma viagem extraordinária... Os Alpha estão vivos e recomendam-se vivamente. Fiquem com "Stay".
Como já mencionei, extremamente recomendável.

 

25 setembro 2012

Peach Stealing Monkeys - Addiction - 2012


Ahhh "Trip-hop" na sua pura definição... Peach Stealing Monkeys recorre a sons de "vinyl", a um bom ritmo, a uma poderosa atmosfera de melancolia e descoberta. Este "Addiction", que conheceu a luz do dia a 9 de Agosto, explora concisamente cada característica deste estilo de forma inovadora na sua essência. Já tinha saudades destes traços originais... Fiquem com "Addiction".
Extremamente recomendável.

  

24 setembro 2012

14th - Hide Yourself EP - 2012


Impressionante... Esta banda é composta pelo duo Londrino Tracey Duodu e Tom Barber, por incrível que pareça, pelo que soube, ainda não têm nenhum contrato com companhias discográficas, mas meus amigos eles são loooonnnnnge de serem amadores e seguramente não estará longe um contrato chorudo. Eles fazem tudo, desde produção, composição, edição dos "video-clips"... A banda descreve a música deles como "Underwater space party", com raízes de "Soul" e "Electrónica" apuradíssima. A voz de Tracey é assombrosa e hipnótica... Fiquem com "Hide Yourself".
Extremamente recomendável...


Yppah - Eighty One - 2012


Cá está uma banda da Ninja Tune que referenciei anteriormente. Yppah, descrito como "Electrónica" e até mesmo "Big Beat", lançaram este ano o mais recente álbum, "Eighty One". Até à data, este trabalho é o mais aclamado, a crítica diz: "It´s as if Cocteau Twins, M83, Bent and Ulrich Schnauss conjoin for a jubilant, serotonin-soaked party.". Ou seja, "uuauuuu"... nele contém diversas colaborações, entre elas a de Anomie Belle, que diga-se de passagem tem uma carreira sólida e bem sucedida pelas vertentes "Trip - Hopianas", mas chegarei lá noutro post. Voltando ao assunto, este álbum de Yppah é deveras interessante não só para os amantes do estilo, mas também para os restantes. Nele temos patente as experimentações alternativas desenvolvidas com classe. Fiquem com "Film Burn", que conta com a participação da Anomie Belle.
Bastante recomendável.


22 setembro 2012

The Notwist - Neon Golden - 2002


Como prometido cá está ele, The Notwist. Esta banda já anda no panorama musical desde 1989 e sim, tiveram várias incursões em diferentes estilos musicais, começaram com "Heavy Metal" até que se estabeleceram com "Indie Rock", para alguns, "Dark Indie Rock", no entanto a presença da "Electrónica" está lá e bem "fofinha". Como mencionei anteriormente, um dos membros de "Lali Puna" colabora assiduamente nesta banda, ou seja, mais uma banda Alemã. Hoje partilho convosco o 5º álbum da banda, "Neon Golden", datado de 2002. Muuuito bom, tem um pedaço de "Indie Rock", de "Electrónica", de melodia, de sedução, de "estaleca" e aconchego.
Com The Notwist acabo a minha divagação por outros tempos, por agora claro, afirmando que voltarei a álbuns deste ano.
Fiquem com a "Pilot".


Bastante recomendável.

21 setembro 2012

Lali Puna - Faking The Books - 2004


Por ter feito referência a este álbum no post anterior, cá está ele, "Faking The Books" pelos Lali Puna. E que álbum minha gente, repito, e que álbum... Extraordinário de início ao fim, não lhe tirava uma única música. Esta banda Alemã (um dos membros também participa noutra banda que gosto imenso "The Notwist", mas fica para amanhã o post) em 2004 lança esta beleza electrónica, tem tudo de bom, voz, ritmo, melodia, agressividade, essência, carisma e uma qualidade invejável, para mim, o melhor álbum que eles lançaram até à data.
Este "Faking The Books" é extremamente recomendável.


Phantogram - Eyelid Movies - 2009


Esta banda Americana é composta essencialmente por um duo, Sarah Barthel na voz (que voz!) e teclas, a outra metade é Josh Carter também na voz e guitarras. O produto final é uma electrónica muuuuito boa. Até ao momento o único álbum oficial é este "Eyelid Movies", no entanto lançaram um EP em 2011 de nome "Nightlife". Quando ouço este álbum lembro-me do "Faking The Books" da banda Lali Puna. "Eyelid Movies" é apaixonante, sumptuoso e sedutivo. Já seria de esperar, falo de uma banda que já abriu concertos de "The xx", "Zero7", "Metric", entre muitas outras de grande qualidade. Fiquem com "When I´m Small".
Este "Eyelid Movies" é extremamente recomendável.


20 setembro 2012

Dirty Elegance - Ode To Bartleby - 2008


Hoje falo-vos de Dirty Elegance, ora descrita como uma banda de "Dowtempo", ora descrita como de "Trip-hop", ou ambas, o que interessa é ser excepcional.  Este "Ode To Bartleby" é um exemplo da magnificência desenvolvida por esta gente. A crítica afirma atingir o êxtase auditivo e tenho de concordar, este álbum é de sonoridades melodicamente obscuras, mas belas, "it captures the depth of the human condition", e mais não digo... fiquem com "And It Ends".
Bastante recomendável.


13 setembro 2012

Puracane - Things We Should Leave Alone - 2000


Chegou finalmente a minha encomenda, directamente vindo da Alemanha, se não estou em erro, novinho em folha, o álbum de Puracane, "Things We Should Leave Alone" do ano de 2000. Recuo então até essa data, para vos falar, desta magnífica banda americana de um "Trip-hop" do melhor que já ouvi. Em 2010, no post da minha lista de 50 melhores álbuns da década, coloquei os Puracane em 17º, sim, são assim tão bons. Meus amigos, trata-se de uma banda com imensa qualidade que nem me atrevo a descrever mais do que isto. Para confirmar o que vos digo, fiquem com "14 Nights".


Extremamente recomendável.

07 setembro 2012

Dead Can Dance - Anastasis - 2012

Ao tempo que já andava para fazer este post...
16 anos depois os Dead Can Dance estão de volta com o seu mais recente álbum, "Anastasis". Para os mais curiosos é uma palavra Grega cuja tradução é "Ressurreição". Será que temos uma ressurreição? O que há a saber deste álbum? É introspectivo, portentoso e erudito, as vozes da Lisa Gerrard e do Brendan Perry continuam a envolver-nos num ambiente muito próprio que apenas eles conseguem no estilo tão característico que representam. Deixo-vos com a música "Kiko" em que se torna possível sentir uma palestra icónica... Sim, temos uma ressurreição extraordinária. Ahhh que saudades tinha...
Extremamente recomendável.


06 setembro 2012

The xx - Coexist - 2012

Cá está o muito aguardado segundo álbum da banda londrina que dispensa apresentações "The xx". Depois do muito premiado "xx" temos agora "Coexist" em grande plano com data de lançamento prevista para o dia 10 de Setembro. Com dois singles "cá fora" dá para perceber que esta malta nova continua em grande forma, mestres da arte que criam e desenvolvem. Jamie Smith diz-nos: "The second album was inspired by the Club Music scene that the trio missed out on.". A recente passagem por Portugal revelou temas deste segundo trabalho que permanece com a pura beleza sonora. Deixo-vos com aquele que foi o primeiro single "Angels". Confesso que não me sai da cabeça.
Enjoy.
Extremamente recomendável.