31 maio 2010

we are scientists - "barbara" (2010)

Os americanos We are Scientists (Murray, Cain e Tapper) são um trio de guitarra, baixo e bateria que praticam um som indie colado ao movimento pós-punk. Em 2005 espantaram o mundo com o seu álbum de estreia “With Love and Squalor” com músicas poderosíssimas como “the great escape” e “nobody move, nobody gets hurt”.
Após este apogeu surgiram os álbuns “crap attack”de 2006 (tipo best-of) e “brain trust mastery” de 2008 como segundo álbum de estúdio que foi um verdadeiro “flop” quer para os fãs quer para a crítica.
Surgem agora em “vinte dez” com o promissor álbum “Barbara”, o terceiro de originais, com saída marcada para 15 de Junho próximo. O single “Rules don’t stop” traz a sonoridade dos cientistas para níveis de qualidade de outrora. Aguardemos.

mariana ricardo - across the way going (2008)

A Mariana dispensa apresentações. Invadiu o meu imaginário infanto-juvenil durante boa parte dos 90's inevitavelmente associada aos Pinhead Society (para mim uma banda de culto) ou também chamada por Sonic Youth à portuguesa. A sua presença tímida e envergonhada marcou as três passagens por palco que eu pude assistir no Porto, em Coimbra e em Paredes de Coura, sempre com o rótulo de imberbe next big thing da musica rock portuguesa.

Ontem voltei a ve-la. Agora a solo. Extraordinária voz. Como o dia em que deixei à mais de 10 anos atrás...



30 maio 2010

Era Uma Vez Um Senhor...

Esse senhor começou a fazer musica ja depois dos 30. Fez até agora 3 albuns, todos brilhantes. O senhor vem de New York, e fez uma ode à sua musa. Outro senhor famoso e respeitado por outras terras onde o hip-hop não é ainda subestimado como cá pelo burgo, Jay-Z de seu nome, fez outra ode à mesma big apple. O primeiro senhor, ao apresentar o tal terceiro brilhante album, 'This Is Happening' (indeed!) resolveu juntar uns pós de uma com a outra e juntar uns balões à festa. Isto claro...lá pela terra deles.(Tirando um ou dois predios caidos...ha pessoas com sorte...)
O senhor é Murphy, James Murphy.
Vai estar perto de vos, na Corunha, no Sonar e em Lisboa, no Alive. Vai trazer aquelas bombas de som : 'Tribulations', 'Yeah', 'All My Friends', 'Dance YrSelf Clean' , 'Get Innocuous' e por ai.
Não querem como este senhor, em 'Losing My Edge', dizer a plenos pulmões 'I was there'?

28 maio 2010

festival curvo - dia 0 - 27.05.2010



O dia zero do festival curvo começou com a projecção da longa metragem do aclamado cineasta Jonathan Caouette (Tarnation, 2003) – All Tomorow Parties.

O filme documentário retrata o festival ATP (All Tomorow Parties) retratando na perfeição quer o conceito de combate aos “majors” como sejam “Glastonbury” ou “Benicassim” quer partilha musical entre o público e os artistas que é intensa e perfeita. Usando os artifícios de colagem, fragmentação e filmagem livre (câmara de mão, máquina fotográfica, telefone, câmara de imagens nocturnas) Caouette fornece ao espectador as ferramentas essenciais para perceber e apreender a mensagem.

Saliente-se também a participação na execução deste filme do famosíssimo Vicent Moon (sim, amado por alguns, venerado por outros e com direito a vénia por nós!).

O festival é o que já sabíamos um deleite de músicos e fãs que partilham o mesmo fim-de-semana no mesmo espaço 24 horas por dia. As surpresas são mais que muitas e a felicidade musical generalizada.

Este ano podem ainda apanhar o ATP em:
3 a 5 de Setembro em Nova Iorque, Estados Unidos
3 a 5 de Dezembro em Minehead, Inglaterra
10 a 12 de Dezembro em Minehead, Inglaterra

O Curvo estreou-se em grande, marcando o conceito indie em Aveiro, numa acutilante projecção do que é a música independente e de como pode ser sorvida em locais inesperados.

Aguardam-se grandes surpresas para amanhã. E aguardamos todos a vossa presença... na cidade da ria.

27 maio 2010

Cronica Da Fila C (que afinal so tem uma à frente!)

Gostei bastante do concerto. Muito bom som, para variar em concertos em salas no Porto, desde o fecho do saudoso Hard Club. Os baixos trepidantes devem ter elucidado melhor os que não percebiam a associação entre estes jovens e o som dubstep.
Pequeno (não haveria muito mais a fazer dado o reportorio da banda), mas sempre intenso, foi uma lição de fazer muito com pouco.
Tocaram tudo do album de estreia mais a cover de Kyla , 'Do You Mind', talvez o melhor lado b dos ultimos 5/6 anos que alguem poe ca fora. Esta cover serve tambem para ver o rapaz Jamie sair da sua panoplia de samplers/mpcs/beatboxs e tocar percursão verdadeira.
Dos dois da frente sente-se a timidez dela, que apenas solta uns sorrisos quando falha uma outra nota e uns 'thank you so much' mais para o final. Ele com uns movimentos mui sui generis com o seu baixo e o seu cabelo, bota a fazer lembrar os tempos de uns Cure, versão inicial, mais solto, mais falador, ate com o ja tradicional 'tudo bem' em portugues. Alias os Cure são, apesar das enormes diferenças, uma das bandas que mais me vem à cabeça quando ouço XX. O publico conseguiu conter quase sempre a euforia durante as musicas apesar da tentativa de alguns de bater palmas a compasso...desordenado...
No final de cada tema sim, viu-se que a plateia gostou do que viu e ouviu. Voltem sempre.

Partem Tudo

Do Porto ha este video do final da musica com o rapaz a partir(literalmente) tudo.

Pouco Mas Bom

Assim foi o concerto de XX na Casa da Musica.
Este 'Infinity' foi das que mais gostei, mas so arranjei o video da Aula Magna, Lisboa, no dia anterior.

21 maio 2010

Statik Sound System



“Statik Sound System”, trip-hop dos anos de ouro (década de 90) e da terra dele, Bristol, Inglaterra. A actualidade é pautada pela dificuldade em encontrar uma banda de trip-hop realmente genuína, pois só se encontra com diversas características adaptadas e influências de Downtempo, Chill-out e até mesmo Drum´n´bass, ou seja, encontrar com aquela “nata” do antigamente não é muito fácil, é possível obviamente, mas é difícil e chego a um ponto em que ando extremamente selectivo em relação à música. Se o trip-hop é um estilo que venero, actualmente ando selectivo dentro do mesmo, por isso quando o encontro oriundo dos anos 90, é porque ele é realmente bom e vale realmente a pena. Com saudades desses tempos musicais dentro deste estilo, dei comigo a ouvir então esta banda com um sentido rítmico acima da média, batida fenomenal, agressiva, mas ao mesmo tempo extremamente melódica com uma voz feminina a acompanhar espectacularmente. Fiquem com a “Free to Choose, Hard to Be” retirada do primeiro álbum da banda, “Tempesta”, datado de 1996.

Bom fim-de-semana e viva a nostalgia…

Enjoy…

15 maio 2010

Versus - Stand by me


Ben E. King
- Stand By Me :




Jonh Lennon - Stand By Me :

Zenzile



Descobri recentemente uma banda francesa que me tem enchido o olho. Confesso que aquando da descoberta permaneci reticente enquanto fazia o duplo “clic” no rato para ouvir as músicas que o álbum continha. Falo de “Zenzile”, o álbum “Living in monochrome”. O motivo da minha hesitação prendeu-se com as características da banda disponíveis em mil e um sites descritivos que afirmavam ser uma banda de reggae. Ora os que me conhecem sabem que não morro de amores pelo estilo musical, “trip-hopper” convicto, as descrições deram-me azia, uma vez que ouvi uma música do álbum, cujo convidado era o Tricky, e a mesma convenceu-me a explorar o cd… Uma palavra, fantástico… Zenzile é uma banda dos anos 90 que tem passado despercebida aos olhos do mundo, que efectivamente tem as suas raízes no reggae, no entanto, o álbum “Living in monochrome”, datado de 2007, é uma mistura de indie rock com trip-hop, com jazz e sim, tem duas faixas reggae que, no entanto, denotam qualidade até aos ouvidos de um não apreciador do estilo, como só tem duas músicas do mesmo, melhor ainda… fiquem com a “still can´t sleep”, uma sonoridade que me lembra “Red Snapper” e, para mim, uma das melhores do álbum… ecoem com o saxofone e gritem com a guitarra…

Bom fim de semana.

14 maio 2010

Yann Tiersen

Eu entendo o conceito do blog: comentar o novo. No entanto não posso deixar de postar sobre o magnífico MÚSICO (sim, este é mesmo músico) que é Yann Tiersen.
Fiquei abismado com a qualidade da música deste senhor.

Yann Tiersen é um compositor minimalista e multi-multi instrumentista francês de 39 anos. Ao Contrário do que seria de esperar, compõe como se tivesse 115.

O seu trabalho mais conhecido é, provavelmente, a banda sonora do filme de 2001, Le Faboleux Destin d'Amélie Poulain (nomeado para 5 Óscares e 12 Césares).

Este súbito interesse surgiu-me ao ouvir pela 31922ª vez a música (que ideia mais antitéctica) Comptine d'un autre été: L'après-midi, mais conhecida que o tremoço. Por acaso até sou possuidor tanto da banda sonora como do filme em que esta música se encontra. Ao ver o filme descobri imensas músicas que já tinha ouvido e gostava, mas que desconhecia o autor.

Utiliza os mais variados instrumentos (como o acordeão) que contêm uma química completamente diferente do habitual, que tornam a sua música extremamente cativante.

Acho que o objectivo do post não fica esclarecido. Não era só informar sobre este músico, era também obrigar a ouvir.

Deixo-vos com um excerto de um concerto de Yann Tiersen, a famosa "Comptine d'un autre été: L'après-midi" e a "La Noyee".
http://www.youtube.com/watch?v=ML4ffX4pvjk
http://www.youtube.com/watch?v=O8ACZ6IyyqM
http://www.youtube.com/watch?v=duGbgrv9LRE&feature=related

portugal the man - the satanic satanist (2009)

"We are all, we are all

Where, Where are we now?

Oh, I wonder(...)"

13 maio 2010

As Aventuras De Murphy Na Mansão pt2

Mais um clip, desta vez com banda sonora da ultima do album, por sinal a minha preferida, de seu nome...'Home'. Que durante a gravação do album foi só uma mansão com piscina, com vista sobre o vale de Los Angeles. Como diz Murphy num dos clips...Não sei como alguem usa um estudio...

As Aventuras De Murphy Na Mansão pt1

São no total 7 os clips como este que estão disponiveis no site dos Lcd Soundsystem. Documentam a gravação do 3º album 'This Is Happening' que saira para as lojas na proxima segunda-feira, dia 17. Neles podemos ver que a opção de usar branco nas gravações foi levada a serio, mas tambem que Murphy controla o processo na quase totalidade, tocando de tudo um pouco. Um geniozinho...


12 maio 2010

Marés Vivas 2010 .recomendo vivamente.



Frequentador assíduo deste Festival desde 2007, nesta altura sem grandes condições, o Marés Vivas tem-se afirmado como um dos festivais de Verão mais consistentes do nosso país, a nível de qualidade de cartazes, espaço físico, preço... é com felicidade que reporto aqui algumas das bandas que vi nestes últimos anos no supracitado:

2007:
Chemical Brothers

2008:
Sisters Of Mercy
Peter Murphy
Tricky
Prodigy

2009:
Lamb
Primal Scream
Kaiser Chiefs


Assim sendo e mantendo coerência de cartaz de ano para ano, deixo aqui o mesmo, com garantias de que não irei faltar dada a grandeza fenomenal que é, e tem sido, o Marés Vivas.
Este ano acrescentarei à lista:

2010:
Goldfrapp
Morcheeba
Placebo
Editors


Especificações:

Preços (até 15/06, depois desta data fica mais caro):
Bilhete Diário : 25 Euros
Passe 3 Dias : 40 Euros

Localidade: Areínho de Oliveira do Douro - Vila Nova de Gaia

Dias do Festival:
15.07.2010
16.07.2010
17.07.2010

Locais de Venda:
CTT, Ticketline, Fnac, Worten...

Campismo não disponível.

Com um cartaz destes ainda tem dúvidas caro leitor?

10 maio 2010

broken social scene - forgiveness rock record (2010)

E do canadá de novo... os broken social scene com o novo álbum, o quarto do seu magnífico peculio, a comemorar os 10 anos de actividade... em grande estilo: texico bitches! A ouvir... com atenção. Mais um excelente álbum para os vinte dez.


the xx - do you mind (kyla cover)

Toda a gente critica os XX por se confessarem adeptos da música mais "mainstream" que povoa os canais televisivos da "especialidade". Concordaremos todos que por não termos a idade dos ditos também não percebemos essas referências. A verdade, a verdade é que os XX conseguem pegar em músicas r&b banalissimas e transformá-las em verdadeiras peças de cristal. Vejam o que fizeram com a paupérrima música da Kyla. Entendem?



Handle with care... if you dare!

(A decriptação da mensagem sonora faz-se dos invejosos que não conseguem perceber que o simples é belo. E que não raras vezes o reciproco não se verifica. A atentar.)

(Se eu voltasse a ter dezasseis posso afirmar com toda a certeza que não enjeitaria a hipotese de gostar da beyonce. Até com trinta... tudo o que o timbaland faz é de se lhe tirar o chapéu. Mesmo... mesmo... mesmo... não gostando.)

05 maio 2010

belle and sebastian - i fought in a war (2000)

variações sobre guerras pessoais - versão 3

"(...)I fought in a war and I left my friends behind me
To go looking for the enemy, and it wasn't very long
Before I would stand with another boy in front of me
And a corpse that just fell into me, with the bullets flying round

And I reminded myself of the words you said when we were getting on
And I bet you're making shells back home for a steady boy to wear
Round his neck, well it won't hurt to think of you as if you're waiting for
This letter to arrive because I'll be here quite a while

I fought in a war and I left my friends behind me
To go looking for the enemy, and it wasn't very long
Before I found out that the sickness there ahead of me
Went beyond the bedsit infamy of the decade gone before (...)"

the raveonettes - 100% (youth cover)

variações sobre guerras pessoais...

"(...) a 100% of my love / up to you true star (...)"


Franz Ferdinand / Queima Porto 2010

Belo e grande concerto, muito profissionais, mesmo em fim de digressão e numa festa de estudantes. O som não estava famoso mas de resto valeu e não foi pouco...Depois a queima, pareceu-me muito morna, talvez pelo vento regelante que corria na noite...
Fica um pouco do delirio de percussão que encerrou o concerto antes do encore.