24 novembro 2009

vynil e cassetes



Há quem nunca esqueça o vynil, o som característico que emite (incluo-me nesse lote), a magia de colocar a agulha no sítio certo, de desfrutar de cada momento de limpeza, quem nunca esqueça o prazer de gravar uma cassete (incluo-me nesse lote), a selecção cuidadosa e criteriosa de cada música, de cada cálculo para aproveitar ao máximo ambos os sides, para simplesmente ouvir e esperar em expectativa para a mudança de track… apesar de ter o computador bem apetrechado, revelo que tem-me dado um prazer imenso ouvir música na aparelhagem, o som emitido soa-me a novo, a diferente, e, como me incluo no grupo dos loucos que adora comprar cd´s sempre que possível, é deveras reconfortante ser acompanhado por um bom whisky, um bom cigarro e uma boa sonoridade… perante tudo isto, dei comigo a comprar um pack de duas cassetes, confesso, gravei uma cassete de noventa minutos, algo que não fazia desde aproximadamente 2001, altura da minha última panca de gravar cassetes… o que senti a fazê-lo considero ser indescritível, poderia divagar, como tenho feito, durante horas a fio, descrever cada instante, porém julgo desnecessário, deixo-vos então com o alinhamento de ambos os sides…

Side A
1- All that you give – Cinematic Orchestra
2- Something wicked – The Herbaliser
3- Went away – Puracane
4- Pablo and Andrea – Yo La Tengo
5- Country livin´ - Esthero
6- Your sweet love (feat Alison Shaw) – Trash Palace
7- Asleep – The Album Leaf
8- Down for mine – Snooze
9- Archive - Headspace

Side B
10- Flame – Crustation
11- Don´t break the silence – Silent Poets
12- Pure – Golden Palominos
13- A single wish – This Mortal Coil
14- Four three – All India Radio
15- Not sleeping – Kanute
16- My late ego – Tika
17- Not as it seems – Kohiba
18- Glubina – Britania
19- Life in mono – Mono

Conclusões, sim, ando a ouvir umas coisas antigas, mas que em som de cassete, sim, soa a algo completamente novo…

20 novembro 2009

Listas

Nos ultimos dias tem vindo a publico varias listas de melhores discos, não do ano, como seria de esperar, mas da decada. Escolha sempre dificil que de 2000 a este 2009 não foram poucas as obras apreciaveis. Tenho vindo a tomar notas mentais (à la Parker Lewis) sobre estas listas e apraz-me fazer um primeiro comentario.
Mas antes algumas listas :

NME- New Musical Express (jornal ingles)

1. The Strokes - Is This It
2. The Libertines - Up the Bracket
3. Primal Scream - xtrmntr
4. Arctic Monkeys - Whatever People Say I Am, That's What I'm Not
5. Yeah Yeah Yeahs - Fever to Tell
6. PJ Harvey - Stories from the City, Stories from the Sea
7. Arcade Fire - Funeral
8. Interpol - Turn On the Bright Lights
9. The Streets - Original Pirate Material
10. Radiohead - In Rainbows

11. At The Drive In - Relationship of Command
12. LCD Soundsystem - The Sound of Silver
13. The Shins - Wincing the Night Away
14. Radiohead - Kid A
15. Queens Of The Stone Age - Songs for the Deaf
16. The Streets - A Grand Don't Come for Free
17. Sufjan Stevens - Illinoise
18. The White Stripes - Elephant
19. The White Stripes - White Blood Cells
20. Blur - Think Tank
21. The Coral - The Coral
22. Jay-Z - The Blueprint
23. Klaxons - Myths of the Near Future
24. The Libertines - The Libertines
25. Rapture - Echoes
26. Dizzee Rascal - Boy in Da Corner
27. Amy Winehouse - Back to Black
28. Johnny Cash - Man Comes Around
29. Super Furry Animals - Rings Around the World
30. Elbow - Asleep In the Back
31. Bright Eyes - I'm Wide Awake, It's Morning
32. Yeah Yeah Yeahs - Show Your Bones
33. Arcade Fire - Neon Bible
34. Grandaddy - The Sophtware Slump
35. Babyshambles - Down in Albion
36. Spirtualized - Let It Come Down
37. The Knife - Silent Shout
38. Bloc Party - Silent Alarm
39. Crystal Castles - Crystal Castles
40. Ryan Adams - Gold
41. Wild Beasts - Two Dancers
42. Vampire Weekend - Vampire Weekend
43. Wilco - Yankee Hotel Foxtrot
44. Outkast - Loveboxxx/The Love Below
45. Avalanches - Since I Left You
46. Delgados - The Great Eastern
47. Brendan Benson - Lapalco
48. Walkmen - Bows and Arrows
49. Muse - Absolution
50. MIA - Arular

Uncut (revista inglesa)

50 - Cat Power - The Greatest
49 - PJ Harvey - Stories from the City, Stories from the Sea
48 - Ry Cooder - Chavez Ravine
47 - The National - Alligator
46 - Drive-By Truckers - Souther Rock Opera
45 - Solomon Burke - Don't Give Up on Me
44 - The Libertines - Up the Bracket
43 - The Streets - Original Pirate Material
42 - Richmond Fontaine - Post to Wire
41 - Bruce Springsteen - Magic
40 - Boards of Canada - Geogaddi
39 - Vampire Weekend - Vampire Weekend
38 - Ryan Adams - Gold
37 - The Raconteurs - Broken Boy Soldiers
36 - Johnny Cash - American IV: The Man Comes Around
35 - Wilco - Yankee Hotel Foxtrot
34 - Bon Iver - For Emma, Forever Ago
33 - Animal Collective - Merriweather Post Pavilion
32 - Calexico - Feast of Wire
31 - My Morning Jacket - It Still Moves
30 - Sufjan Stevens - Illinois
29 - Neil Young - Chrome Dreams II
28 - Queens of the Stone Age - Songs for the Deaf
27 - The Hold Steady - Boys and Girls in America
26 - Lambchop - Nixon
25 - Radiohead - Kid A
24 - Arctic Monkeys - Whatever People Say I Am, That's What I'm Not
23 - Beth Gibbons & Rustin Man - Out of Season
22 - Blur - Think Thank
21 - Joanna Newsom - Ys
20. Amy Winehouse - Back to Black
19. Bruce Springsteen - The Rising
18. Kate Bush - Aerial
17. The White Stripes - Elephant
16. LCD Soundsystem - Sound of Silver
15. Radiohead - In Rainbows
14. Primal Scream - XTRMNTR
13. Gillian Welch - Time (The Revelator)
12. Portishead - Third
11. The Flaming Lips - Yoshimi Battles The Pink Robots

10. Fleet Foxes - Fleet Foxes
09. Ryan Adams - Heartbreaker
08. Bob Dylan - Modern Times
07. Arcade Fire - Funeral
06. Robert Plant and Alison Krauss - Raising Sand
05. The Strokes - Is This It
04. Brian Wilson - Smile
03. Wilco - A Ghost is Born
02. Bob Dylan - Love and Theft
01. THE WHITE STRIPES - WHITE BLOOD CELLS

Pichfork (site americano)

50. Deerhunter - Microcastle
49. Antony & The Johnsons - I Am A Bird Now
48. The Hold Steady - Separation Sunday
47. Joanna Newsom - The Milk-Eyed Mender
46. The Shins - Chutes Too Narrow
45. Fugazi - The Argument
44. D'Angelo - Voodoo
43. Luomo - Vocalcity
42. Grizzly Bear - Veckatimest
41. Burial - Untrue
40. The National - Alligator
39. Boredoms - Vision Creation Newsun
38. Phoenix - It's Never Been Like That
37. Yo La Tengo - And Then Nothing Turned Itself Inside-Out
36. The Streets - Original Pirate Material
35. Spoon - Ga Ga Ga Ga Ga
34. Radiohead - Amnesiac
33. Basement Jaxx - Rooty
32. Fleet Foxes - Fleet Foxes
31. TV On The Radio - Return To Cookie Mountain
30. Boards of Canada - Geogaddi
29. Bon Iver - For Emma, Forever Ago
28. Kanye West - College Dropout
27. Animal Collective - Sung Tongs
26. Fennesz - Endless Summer
25. Madvillian - Madvilliany
24. Yeah Yeah Yeahs - Fever To Tell
23. Broken Social Scene - You Forgot It In People
22. M.I.A. - Kala
21. Radiohead - In Rainbows
20 Interpol - Turn On The Bright Lights
19 Spoon - Kill The Moonlight
18 Kanye West - Late Registration
17 LCD Soundsystem - Sound Of Silver
16 Sufjan Stevens - Illinois
15 The Knife - Silent Shout
14 Animal Collective - Merriweather Post Pavillion
13 OutKast - Stankonia
12 The White Stripes - White Blood Cells
11 Ghostface Killah - Supreme Clientele

10 The Avalanches - Since I Left You
09 Panda Bear - Person Pitch
08 Sigur Rós - Ágætis Byrjun
07 The Strokes - Is This It
06 Modest Mouse - The Moon & Antarctica
05 Jay-Z - The Blueprint
04 Wilco - Yankee Hotel Foxtrot
03 Daft Punk - Discovery
02 Arcade Fire - Funeral
01 RADIOHEAD - KID A

Paste (revista americana)

50. Björk - Vespertine (2001)
49. Libertines - Up The Bracket (2002)
48. Loretta Lynn - Van Lear Rose (2004)
47. Arctic Monkeys - Whatever People Say I Am, That's What I'm Not (2006)
46. Once - Music From The Motion Picture (2007)
45. Radiohead - In Rainbows (2007)
44. The Jayhawks - Rainy Day Music (2003)
43. Jens Lekman - Night Falls Over Kortedala (2007)
42. Jay-Z - The Blueprint (2001)
41. LCD Soundsystem - Sound of Silver (2007)
40. TV on the Radio - Return To Cookie Mountain (2006)
39. Arcade Fire - Neon Bible (2007)
38. Gentleman Jesse - Introducing Gentleman Jesse (2008)
37. Iron & Wine - Our Endless Numbered Days (2004)
36. Pedro The Lion - Control (2002)
35. Animal Collective - Merriweather Post Pavilion (2009)
34. Various artists - O Brother Where Art Thou? (2001)
33. Coldplay - A Rush Of Blood To The Head (2002)
32. The Flaming Lips - Yoshimi Battles The Pink Robots (2002)
31. Death Cab For Cutie - Transatlanticism (2003)
30. Damien Rice - O (2003)
29. Bon Iver - For Emma, Forever Ago (2008)
28. Paul Westerberg - Folker (2004)
27. Drive-By Truckers - Decoration Day (2003)
26. Over the Rhine - Ohio (2004)
25. Sigur Rós - Med ud i eyrum vid spilum endalaust (2008)
24. The Shins - Chutes Too Narrow (2003)
23. Ryan Adams - Heartbreaker (2000)
22. The Decemberists - The Crane Wife (2006)
21. Vampire Weekend - Vampire Weekend (2008)
20. The National - Boxer (2007)
19. Beck - Sea Change (2002)
18. Amy Winehouse - Back To Black (2007)
17. Kanye West - The College Dropout (2004)
16. Rufus Wainwright - Want One (2003)
15. Patty Griffin - 1000 Kisses (2002)
14. The Strokes - Is This It (2001)
13. Josh Ritter - The Animal Years (2006)
12. Spoon - Kill the Moonlight (2002)
11. The Hold Steady - Boys And Girls In America (2006)

10. M.I.A. - Arular (2005)
9. The Avett Brothers - I And Love And You (2009)
8. OutKast - Stankonia (2000)
7. Gillian Welch - Time (The Revelator) (2001)
6. The White Stripes - Elephant (2003)
5. Bright Eyes - I'm Wide Awake, It's Morning (2005)
4. Radiohead - Kid A (2000)
3. Arcade Fire - Funeral (2004)
2. Wilco - Yankee Hotel Foxtrot (2002)
1. Sufjan Stevens - Illinoise (2005)

O NME consegue por exemplo a proeza de deixar de fora os Animal Collective, que estao com 'Merryweather Post Pavillion' na Uncut, Paste e na Pitchfork que os repetem com 'Sung Tongs'. E aquele maravilhoso 'Feels', album do ano para o Publico à altura? 3 grandes albuns e nem uma chamada? Hum...E esse estranho adorar da figura de Pete Doherty, pelo mesmo NME? Os dois albuns de Libertines e ainda o de Babbyshambles? Por favor...
Ha nomes que parecem unânimes: Radiohead, Arcade Fire, Wilco, White Stripes, The Strokes...
Os Lcd Soundsystem no entanto não conseguem melhor que um 12º lugar, mesmo estando em todas as listas? Parece-me pouco.
Esperemos por outras listas e pensemos nas nossas...

19 novembro 2009

Depeche Mode - Pavilhão Atlântico - 14.11.09



Em noites presenciais perdidas algures na Lisboa negra possante em copos vazios, em gomos de som inaudível, eis que surge o silêncio, eis que surgem fios de cabelo, pontos distantes num espaço cujas condições acústicas revelam lacunas, eis que nesses pequenos pontos a aparência de Depeche Mode ergue ruídos “ecoantes” de uma plateia presente na imanente força de sonoridades recentes de “Wrong”, precedida pelas correntes de “In chains” e consequentes “Ohh yeah” e “Thank you Lisbon”… “Hole to feed” em ecos nocturnos, num conjunto de músicos que a idade perdoa pelas movimentações inerentes de cada vocalização/ movimento… A primeira grande ovação, “Walking in my shoes”, ninguém tropeçou nas passadas melodiosas, apenas no embalar de corpos envolvidos pela genica de quem não pára, na potencia de cada som emitido para receber a “Question of time”, lembro a minha infância, a mota “sidecar” o tempo a passar, a audiência a cantar até a voz doer, dando lugar assim a “Precious”, aquela música que muitos consideram ter um cariz mais pop, cuja letra ressoa em cada um, mais uma ovação… “World in my eyes”, com um palco a abraçar as sonoridades envolventes, para dar lugar à tipologia negra de “Fly on the Windscreen” e para a clamorosa “Sister of night”, Martin permanece em palco, surge a “Home”, uma das que capta a essência dos anos conturbados da banda em meados de 1996, apenas um piano, milhares de atentos espectadores a entoar cada palavra, para a conclusão da música, a plateia continua o seu murmúrio em “Miles away” e a antiguinha “Policy of truth” e uma vez mais o lugar de “Ultra” em “It´s no good” a ocupar as mentes de cada ouvinte, bem como na violência sonora de “In your room”… “I feel you” veio demonstrar que efectivamente alguém nos sente, ou sentiu na permanência da noite e, após o ruído de palmas, seguiu-se um ruído ainda maior com a percepção de “Enjoy the silence” com lugar para umas distorções, para uns solos, para o público entoar as letras, para o público se preparar para um pavilhão inteiro a repetir os gestos de Dave em “Never let me down again”, clamoroso… com a finalização veio o encore e a “One caress” que embora tenha ficado no esquecimento da audiência, “Stripped” acordou as redondezas Lisboetas, mas não tanto como “Behind the Wheel”, mas não tanto como a “Personal Jesus” que culminou um concerto cuja duração remontou para as duas horas, na que foi possivelmente a maior interacção de cada ouvinte… em seguida, o adeus, a chuva, os copos vazios a preceder os cheios, as impressões de cada um… a reter deste magnifico concerto, evidencio as condições acústicas deficitárias do Pavilhão Atlântico, evidencio a forma extraordinária da banda, evidencio um seguimento extremamente interessante com surpresas inesperadas, uma vez que o alinhamento era conhecido, evidencio a qualidade invejável de uma performance imaculada que muitas bandas ambicionam e poucas conseguem… extremamente recomendável para qualquer apreciador de música…

16 novembro 2009

Atlas (de uma outra dimensão)

É uma das mais geniais musicas da decada, extremamente inventiva. Vem no album de 2007 'Mirrored', dos nova-iorquinos Battles, que fazem parte da editora Warp.
'Atlas' :



A Warp por sua vez faz 20 anos. Celebra como agora é habitual com umas compilações. No caso 3, bem como uma box-set de preços proibitivos que reune todas e algo mais. As compilações são então 3. 'Chosen' (2 cds,um best of do que esta para tras), 'Unheard' (como o nome indica, com ineditos dos artistas da editora) e 'Recreated' (mais 2 cds, agora de remisturas/covers de artistas da warp a outros artistas da Warp).
Resta dizer que a Warp não chegou aos 20 anos por acaso. Entre os artistas desta editora, maioritariamente electronica, mas sempre de risco e de vanguarda incluem-se além dos citados Battles nomes como Aphex Twin, !!!, Autechre, Boards of Canada, Flying Lotus, Jamie Lidell, Leila, Lfo, Maximo Park, Nightmares on Wax, Plaid, Prefuse 73,Vincent Gallo(sim, o realizador) ou o grande senhor da experimentação que dá pelo nome artistico de Squarepusher(no Allmusic.com a sua biografia começa assim 'Tom "Squarepusher" Jenkinson makes manic, schizoid experimental drum'n'bass with a heavy progressive jazz influence and a lean toward pushing the clichés of the genre out the proverbial window') Uma editora de referencia portanto, até na sua aposta forte desde sempre no aspecto grafico das edições, sempre cuidadas. Além disso, os videoclips. Ai destaca-se o trabalho de Chris Cunningham, principalmente com Aphex Twin, de onde sairam perolas como 'Come to Daddy' ou este delicioso 'Windowlicker', uma autentica curta-metragem de 10 minutos. De referir que por exemplo os Arctic Monkeys, que não pertencem à editora, costumam trabalhar com realizadores da Warp, como no recente 'Crying Lightniing', do ultimo 'Humbug'



Mas não podia terminar sem honrar Squarepusher, a minha porta de entrada para este mundo. Aqui num programa da BBC,onde começa por ser elogiado por Andre 3000 dos Outkast, depois da uma pequena entrevista, é de novo elogiado agora por Tom Yorke dos Radiohead e depois dá uma pequena demonstração do seu virtuosismo no baixo. Assim se percebe melhor os riscos que tanto Outkast como Radiohead sempre correram. Os seus lideres ouvem Warp Records...



Para quem ficar curioso com Squarepusher recomendo os albuns 'Feed Me weird Things' de '95, 'Hard Normal Daddy' de '97 e 'Go Plastic' de 2001 que contem a sua faixa mais conhecida 'My Red Hot Car'.
Long live Warp.

11 novembro 2009

matt and kim - grand (2009)

Eis o primeiro avanço do segundo album para o famoso duo de brooklyn Matt and Kim:


06 novembro 2009

choir of young believers - this is for the white in your eyes (2009)

Confesso que enquanto ouvinte por vezes tenho reacções (hipo)alérgicas à ruralidade com que são tratadas a maioria das opções sonoras que partilho com os meus amigos.

Há um secreto dominio da arte que perpassa em todas as suas dimensões intelecto-artisticas quando criticam as minhas audições. Reitero, com interjeições forçadas, a incredulidade por nem sequer tentarem ouvir para ver se lhes causa algum tipo de sensação (ou espantem-se uma pluralidade de perguntas).

Não entendo nada de musica nem almejo entender. Faltei à cadeira em que o professor ensinava como, quando, onde e porque gostar de algum estilo de musica porque é "universalmente" aceite como bom.

A musica para mim é e sempre foi um despertar de sensações despretensioso. Injecção sublime de adrenalina aditivada com sorrisos (não raras vezes partilhados).

Ainda assim confesso que umas quantas vezes pergunto a quem ouve da mesma forma se desperta efectivamente aquela sensação. Há legitimação em cada nota que se sente em cada palavra que se sente.

(NOTA: obviamente isto nada tem a ver com o grupo dinamarquês que agora coloco à Vossa apreciação. Foi só um desabafo de quem incrédulo não consegue perceber a intelectualidade do meio musical P-O-P (será que isto não diz tudo?...))

I'm spending my time,
walking spirals in line,
did i ever honestly believe,
a change of mind,
and then a change of position,
only action no reaction no,
this time is mine, together we can't spend it anyway,
nothing is gonna change nothing is ever gonna change

And I'm a trigger,
you're my gun
don't you wanna come,
don't you taste the times that come,
back and forth in one,
don't you wanna come,
if I could take you to a better place

She is a monument,
and everyone is talking,
like a vision it's all crystal clear,
a change of mind and then a change of position,
did we ever honestly believe,
watching dead bodies and bombs falling from the sky,
nothing's gonna change, nothing is ever gonna change

And I'm a trigger,
you're my gun,
don't you wanna come,
don't you taste the times that come,
back and forth in one

02 novembro 2009

Bad

Foi re-editado agora 'The Unforgettable Fire', àlbum de '85 dos U2. Marcante por ser o inicio da sua melhor epoca, que terminaria em '94 com 'Zooropa'.
Nele está incluido 'Bad', uma das minhas canções preferidas não só deles, como de sempre. Fica aqui a belissima letra (fala sobre a dependencia de drogas), bem como duas actuações, ambas em Londres. As duas no estadio de Wembley. Uma no antigo, no mitico Live Aid, em '85, a outra no novo, na digressão 360º, em 2009.

Bad

If you twist and turn away
If you tear yourself in two again
If I could, yes I would
If I could, I would
Let it go
Surrender
Dislocate
If I could throw this
Lifeless lifeline to the wind
Leave this heart of clay
See you walk, walk away
Into the night
And through the rain
Into the half-light
And through the flame

If I could through myself
Set your spirit free
I'd lead your heart away
See you break, break away
Into the light
And to the day

Oooh oooh, oooh oooh, oooh oooh oooh...

To let it go! And so fade away
To let it go!
And so fade away
I'm wide awake
I'm wide awake
Wide awake
I'm not sleeping, oh no, no, no

If you should ask then maybe they'd
Tell you what I would say
True colors fly in blue and black
Blue silken sky and burning flag
Colors crash, collide in blood shot eyes

Oooh oooh, oooh oooh, oooh oooh oooh...

If I could, you know I would
If I could, I would
Let it go

This desparation
Dislocation
Separation
Condemnation
Revelation
In temptation
Isolation
Desolation

Let it go
And so fade away
To let it go, oh yeah
And so fade away
To let it go, oh No
And so fade away
I'm wide awake
I'm wide awake
Wide awake
I'm not sleeping oh no no