10 junho 2008

diane cluck - oh vanille ova nil (2002)


Créditos do cartaz para o MN.

Da cena anti-folk americana surge em Aveiro para um concerto único a magnífica Diane Cluck. Na antevisão desse fabuloso concerto podem, através duma pesquisa rápida na internet, deliciar-se com qualquer um dos seis albúns que editou desde 2000 ou então apenas clicar na figura seguinte. Directamente do Oh Vanille ova nil (2002).


Quem alinha?

05 junho 2008

we've got kissability



Para quem reconhecer a musica que inspira este cartaz... não falte por favor! Estão todos convidados...

Nota: Dedicada ao meu amigo Bruno aka Mr. Red Tie que faz anos no dia de Camões!

the ting tings - we started nothing (2008)

E directamente de Manchester para o mundo surge mais uma banda constituída por dois moçinhos: a katie e o jules. Apesar de formados em 2006 já há algum tempo que vinham dando mostras de que estaria um albúm bombástico para sair… e… três singles depois aí estão eles!
Vamos ouvir muito falar deste We Started Nothing… e durante o verão não vamos ouvir outra coisa. Shall we?
The Ting Tings -Great DJ


Nota: Com dedicatória especial para o Herr Schwarz e o Red Tie. Dj’s de serviço…

04 junho 2008

Mercado Negro - Scout Niblett rescaldo


Passavam já 45 minutos da hora marcada (e infelizmente costuma ser sempre assim no MN…) quando a Scout pisou pela primeira vez palcos Portugueses. Aguardava-a, numa ânsia desmedida, cerca de 80 pessoas ávidas de sorrisos. O concerto desconcertante começou, em comunhão sentimental, com pequenos erros e paragens provocadas pelo rubicundo vinho português. Passada a primeira música do inquebrantável “This fool can die now” já todos tavam rendidos aos golpes acutilantes da voz da senhora Emma. Alguma questão, retorquiu numa simplicidade própria da ocasião refractando qualquer gesto de empatia. Alguns presentes ainda tentaram estabelecer contacto numa clara “show-case” improvisada (?). Percorreu ora sozinha ora com a companhia de um alegre coleguinha hora e meia de avalanche sonora.Foi magia o que se passou no Mercado Negro e mais mágicos fomos nós, encimesmada audiência, que não paramos de sorrir.


Nota: Créditos da foto para o Luis Oliveira Santos